Qual a percepção do franqueado com o crescimento da rede?

A ideia do texto de hoje é debruçar um olhar para os dois lados da moeda - franqueado e franqueador - entendendo melhor os benefícios do crescimento da rede para ambos.

O tema surgiu após eu ouvir comentários de vários franqueadores sobre as  insatisfações dos franqueados quando a marca começa a abrir mais unidades.

Um comentário clássico: receio da rede crescer muito e com isso saírem perdendo.

Você deve estar pensando, como assim? Só há benefícios para os franqueados!

Mas não é bem assim que eles pensam.

Os questionamentos começam cedo

Logo após a assinatura do contrato, a ansiedade por parte do novo franqueado é grande.

Alguém vai entrar em contato comigo? Quando? Paguei a taxa e agora?

Sendo assim, um email dando as boas vindas – o quanto antes –  um telefonema com os próximo passos, a entrega de um cronograma, certamente causarão uma boa impressão e acalmarão o mais novo franqueado.

Estipule isso como parte de seu processo e/ou com seu time de expansão.

Existe um encantamento inicial por parte do franqueado muito importante de ser mantido.

“Procure resgatar a paixão dele pela marca, retomando o que o fez assinar o contrato” cita João Baroni sócio proprietário da marca B.lem PADARIA PORTUGUESA.

Os franqueados receiam que, com o crescimento da rede: 

  • seus territórios sejam invadidos;
  • haja uma massificação dos produtos ou serviços, comprometendo a qualidade;
  • a marca será vendida;
  • e outros tantos pensamentos….

Proximidade com seus franqueados

Manter a proximidade de seus franqueados é fundamental para que tais questões sejam cortadas na raiz, bem no início destes sentimentos para que não sejam disseminados na rede.

Há um hábito de, por insegurança e desconhecimento – dividirem apenas  as frustrações e não as coisas boas.

E você – dono da marca – sabe que a rede está repleta de coisas boas.

Sendo assim,  a proximidade que comentei no parágrafo anterior, ajudará a mitigar este círculo vicioso.

Este trabalho será uma constante na liderança de sua rede.

Acredite, cada nova unidade da rede passa por fases ou estágios que precisarão sua atenção.

O Fator E

O psicólogo australiano Greg Nathan, do Franchise Relationships Institute (FRI), viveu a experiência de ser um franqueado e franqueador e descreveu a famosa curva J no livro de sua autoria O Fator E.

A teoria criada por Greg, consiste em seis estágios descritos ao longo do livro:

  1. Glee (Satisfação)
  2. Fee (Taxas)
  3. Me (Eu)
  4. Free (Autonomia)
  5. See (Entendimento)
  6. We (Nós)

Nathan nos mostra um pouco de sua visão no campo das relações humanas e profissionais:

“Se você deseja se tornar o melhor gerente de pessoas nos negócios, ou na vida, terá de ser competente em entender por que as pessoas fazem as coisas que fazem. Ter esse entendimento possibilita ser mais objetivo na forma de responder a desafios comuns, como desentendimentos interpessoais ou gestão de pessoas motivadas”.

Fator E – Estágios de Desenvolvimento do Franqueado

Sendo assim, fique atento em transmitir a todos envolvidos as melhorias, os crescimentos, as negociações com novo fornecedores, os estudos, os projetos, os avanços do marketing, o porquê das decisões tomadas.

Envolva os franqueados nas decisões!

Compartilhar com eles suas necessidades e dificuldades os aproxima da marca e passa segurança e a certeza de sua parceria, fazendo que o crescimento de sua rede seja saudável, sustentável e sólido.

Receba nossos conteúdos

Cadastre-se e receba regularmente nossa newsletter com conteúdos relevantes sobre gestão e negócios.

Comentários

5 1 vote
Avaliação
Inscrever
Notificar
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimos conteúdos

Seleção de franqueados: e agora?

Você identifica que seu negócio é escalável? Tem atratividade? De fácil operação e possui lucratividade? Por que não franquear? Mas.. para quem vender?