Abrir uma franquia com sócio

Abrir uma franquia com sócio vale a pena?

Quando o empreendedor decide abrir uma franquia é comum surgir aquela dúvida sobre ter ou não um sócio.

Trabalhar em sociedade tem diversos benefícios se houver atenção para alguns pontos essenciais.

Veja abaixo se vale a pena abrir uma franquia com sócio.

Existem dois principais motivos pelos quais o empreendedor decide trabalhar com um sócio.

  1. O primeiro é quando ele não tem muita experiência e surge a insegurança de começar um negócio sozinho.
  2. O segundo motivo é quando falta capital para investir.

Nesse segundo caso, a sociedade é uma boa opção para não ter que recorrer ao banco e fazer um empréstimo.

Seja para ter mais capital, seja para ter mais força de trabalho, abrir uma franquia com sócio pode ser uma opção vantajosa desde que se escolha um parceiro de confiança.

 

Como escolher o sócio?

 

Escolher um sócio exige muita atenção e prudência.

Não é aconselhado escolher uma pessoa desconhecida, ainda que ela demonstre ter experiência no setor com o qual você irá atuar.

Se o primeiro relacionamento que você tiver com a pessoa for a sociedade, talvez não seja uma boa ideia estabelecer esta parceria.

O ideal é escolher uma pessoa de confiança, de preferência alguém cuja trajetória profissional você conhece ou acompanha.

Se você se sente à vontade de trabalhar com a pessoa, ela é um sócio em potencial.

 

Como organizar o trabalho em sociedade

 

A partir do momento em que o empreendedor escolhe o sócio com quem vai trabalhar é preciso definir algumas questões.

Há casos em que o sócio tem o dinheiro para investir, mas não quer operar na franquia.

Se você tem interesse em trabalhar enquanto o seu parceiro investe o capital essa pode ser uma boa união para vocês.

Existe ainda o formato no qual os dois entram com o capital e apenas um trabalha.

Não existe nenhuma regra para se estabelecer uma sociedade.

No entanto, é essencial que tudo seja combinado antes.

É preciso definir bem:

  • quem irá trabalhar
  • qual será o capital investido
  • como os dois se dedicarão à franquia
  • como será a divisão dos lucros

Todas essas questões precisam ser pensadas e conversadas antes mesmo de o negócio começar a funcionar.

 

Converse com o franqueador e estabeleça regras

 

É preciso definir, antes de abrir a franquia com sócio, como será a rentabilidade, como será a divisão de lucros e quais os valores que cada um precisa retirar da franquia.

Lembre-se que existem franqueadores que recomendam a não retirada de capital durante o primeiro ano.

Nesse caso, é preciso ter a certeza de que ambos os sócios terão condições de não fazer essas retiradas.

Ter um alinhamento dos sócios com o franqueador é essencial.

Vocês devem esclarecer todas as questões que forem pertinentes.

Outro ponto a ser considerado é que alguns tipos de contratos não permitem a inclusão de mais de dois sócios.

Se você deseja incluir mais pessoas no contrato é preciso conversar com o franqueador e adequar essas necessidades.

Veja outras dicas para firmar um bom contrato neste post.

 

Uma boa relação é fundamental

 

Além do alinhamento com o franqueador ter uma boa relação com o sócio é de extrema importância.

É preciso verificar se os dois têm entrosamento, compartilham da mesma visão nos negócios, se as tarefas de cada um estão claras, se a planilha financeira foi desenhada já com um pré-labore ou não.

Todas essas questões são de extrema importância para evitar dores de cabeça futuras ou até mesmo problemas financeiros que comprometam o bom funcionamento da franquia.

Abrir uma franquia com sócio é um ótimo caminho para alavancar vários tipos de negócio.

Inclusive, facilita bastante quando se quer abrir a segunda ou terceira unidade.

No entanto, é preciso ter muito entrosamento e diálogo para que as coisas deem certo.

Se todos os membros da sociedade estão satisfeitos e dispostos com o que foi combinado já é meio caminho andado para ter sucesso na parceria.

Boa sorte e alinhe as expectativas!

Compartilhe o artigo